top of page

5 dicas para empreender do zero no setor de soluções financeiras e pagamentos

Especialista afirma que é possível criar um banco digital, uma empresa de maquininhas de cartões ou viabilizar a integração da captura de pagamentos a um aplicativo já existente


Enquanto a tecnologia transforma inúmeros aspectos da vida cotidiana, inclusive o modo como fazemos pagamentos, novas empresas nascem para atender as demandas e sair na frente nos movimentos de inovação. É o que vem acontecendo no setor de soluções financeiras: de acordo com um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a quantidade de fintechs na América Latina aumentou 112% entre 2018 e 2021.


Essa movimentação cria oportunidades variadas na área. “Existem muitos serviços e tecnologias que simplificam transações financeiras, desde a captura de pagamentos presenciais, utilizando máquinas de cartão, até o ambiente online, com gateways de pagamento e serviços bancários, como conta digital, TED, Pix, entre outros”, explica Leonardo Moreira Gomes, CEO e cofundador da Paytime.


Dentre os caminhos possíveis para empreender, Leonardo destaca três: o desenvolvimento de um banco digital, de uma empresa de máquinas de cartão para credenciar estabelecimentos comerciais, ou a integração da captura de pagamentos a um aplicativo já existente. Nesse último caso, poderia criar-se um hub de soluções financeiras, como o Ifood, que oferece conta digital para os restaurantes e para os entregadores.


O que quer que seja definido, algumas orientações são válidas para todos os casos. Assim, o CEO reuniu algumas dicas para quem quer começar a empreender nesse mercado:


Parceiros

Para criar a empresa do zero, ou será necessário um investimento bem alto, que pode chegar na casa dos milhões, ou uma parceria sólida.

“Busque por um parceiro estabelecido para fornecer a tecnologia necessária. O mercado de fintechs opera com volumes significativos diariamente, então é essencial contar com uma parceria experiente, com histórico comprovado e que agregará credibilidade e segurança à sua operação. Lembre-se que uma falha sistêmica mínima pode ter um impacto devastador. Quanto perde um estabelecimento sem uma maquininha de cartão em um único dia? E se esse dia for o de maior movimento?”, enfatiza Leonardo.


Planejamento estratégico

Gomes indica a elaboração de um plano de negócios com o planejamento dos próximos anos, considerando o investimento necessário, as fontes de receita e a estratégia comercial.

“Desenvolva um modelo bottom-up, partindo do detalhamento para o todo. No mercado de pagamentos, que é caracterizado por margens reduzidas e alto volume, cada 0,10% pode fazer toda a diferença. Portanto, seja detalhista”, recomenda.


Diferencial competitivo

É importante definir quais serão os diferenciais para se destacar no mercado, inclusive identificar também quais são os pontos fortes e os pontos fracos da empresa. “É impossível ser o melhor e mais barato ao mesmo tempo”, lembra o profissional. “Mas vale dizer que uma das maiores vantagens de empresas locais é o atendimento personalizado e otimizado, por conta da proximidade e conhecimento da realidade local”.


Ele também destaca que a concorrência com bancos tradicionais e outras fintechs consolidadas é um dos grandes desafios do setor. Muitas vezes, o foco na tecnologia é a saída certeira para oferecer soluções seguras e inovadoras, que criem os diferenciais que o empreendedor precisa ou mesmo que não deixe que ele fique para trás.


Nicho

Este mercado é muito amplo e boa parte da população usa métodos de pagamentos variados, o que exige diferentes soluções financeiras por parte das empresas. Segundo uma pesquisa da Opinion Box, 77% dos brasileiros usam o Pix — e 41% utilizam QR Code para realizar o pagamento através desse meio. Os cartões de crédito (80%) e débito (66%) também são favoritos, o que também coloca as maquininhas em destaque.


Portanto, todos os tipos de negócios precisam do que as fintechs podem oferecer. Contudo, Leonardo indica que a definição de um nicho é fundamental. “Defina com precisão seu público-alvo e se concentre nele. Pode ser lojas de roupas, de eletrônicos, de material de construção, franqueadoras… o importante é ter um foco. E, a partir disso, aprimorar a qualidade de atendimento para atender às necessidades específicas desse grupo”, afirma.


Marketing digital

Algo que vale para qualquer negócio atualmente é o investimento no marketing, especialmente no âmbito digital. As pessoas conhecem e consomem marcas pela internet mais do que nunca.

“Uma das maiores vantagens dos players que se destacam no mercado de pagamentos é a presença digital. Não é incomum que quem aparece mais ganhe de quem tem o melhor produto. Invista na imagem da sua empresa”, finaliza o CEO. Fonte: Varejo S/A

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page