Buscar
  • Comunicação CDL Itaúna

Como reduzir o impacto da alta do combustível no varejo



A alta nos preços dos combustíveis tem pressionado o comércio, sobretudo o ecommerce. Isso porque, com o aumento do insumo básico, as transportadoras de mercadorias têm realizado reajustes, que vão de 5% a 10%. O cenário fica mais delicado para o varejo se considerada a perda de renda pelos consumidores e as vendas ainda em processo de retomada. Tudo isso faz com que o repasse destes custos a mais para o comprador final não seja fácil.


“A alta dos combustíveis impacta diretamente no valor do frete. E o frete quem paga é sempre o consumidor, por mais que algumas empresas anunciem “frete grátis” em determinadas situações. Quando isso acontece, certamente o valor está embutido no preço do produto. Ele costuma representar de 10 a 15% do valor total do pedido. Assim, se o frete sobe, o produto vai subir”, explica Nathan Moojen especialista em marketplace e fundador do Moda Online, startup que liga indústrias e revendedores do universo da moda.


Os comerciantes têm buscado alternativas para não repassar integralmente a alta dos combustíveis para o consumidor final. Um caminho tem sido contratar novas e mais transportadoras para fazer a última milha – fase final do processo de entrega –, dando preferência para as de médio e pequeno porte. E com a crise, sugiram mais empresas menores para atender especialmente o last mile, segundo a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística).


Outra estratégia é melhorar produtividade usando a logística e a entrega de maneira mais eficiente. Ainda é possível contar com a tecnologia para aliviar perdas com a alta do combustível. Hoje, softwares de gestão automatizam os processos e driblam as variáveis. É o caso do Gestran Frotas, ferramenta criada pela Gestran – companhia paranaense de tecnologia da informação (TI) – que simplifica processos manuais diários.


A plataforma monitora o gasto do combustível e de pneus, indica se é preciso manutenção e aponta as despesas. A ferramenta atende transportadoras e, também, qualquer negócio que tenha frota de veículos, como empresas do varejo, indústria, agronegócio e até administrações públicas. Ainda, permite a busca por melhores preços nas bombas do Brasil por região, cidade, posto, bandeira, ajudando na negociação com postos de combustíveis. Segundo Paulo Raymundi, CEO da empresa de TI, com o sistema, é possível diminuir os custos.


“Com a plataforma de gestão de frotas, conseguimos entregar, em média, de 20 a 25% de economia para a frota toda, pois nosso sistema tem uma tecnologia que avalia e cruza uma série de dados e oferece aos nossos clientes as melhores opções”, explica Paulo Raymundi, reforçando que todo o monitoramento é em tempo real.


Economizar

Diante das altas constantes no preço do combustível, as empresas devem controlar o consumo e reduzir este custo. Entre os fatores que contribuem para o maior consumo de combustível do veículo:

  • Mau hábito do motorista;

  • Combustíveis de má qualidade;

  • Carros sem manutenção;

  • Rodovias em mau estado;

  • Engarrafamentos.

Confira 8 dicas para controlar o gasto de combustível:


1 – Quilometragem

Ao se fazer um bom monitoramento da quilometragem, fica fácil avaliar quais veículos estão consumindo mais combustível do que o previsto. Os sistemas de gestão são a melhor forma de fazer este acompanhamento em tempo real. Fique de olho nos horários de uso do veículo e nos fatores que estão contribuindo para um maior consumo.


2 – Padrões

Defina padrões para os veículos a fim de evitar que veículos com maior consumo não sejam utilizados. Se a frota for própria, aposte em veículos econômicos. Se for de parceiros, determine as marcas e modelos que poderão ser usados. Isso ajudará a reduzir gastos com combustíveis, evitando o uso de carros que consomem mais.


3 – Postos de combustíveis

Fazer parcerias com postos de gasolina confiáveis é essencial. Além de garantir uma gasolina de qualidade para a frota, ainda ficará mais fácil de visualizar quais veículos estão abastecendo mais e quais são os horários de abastecimento. Ainda é possível ganhar prazo para pagamento, assim como descontos no preço do combustível. Tudo isso ajudará na redução de custo.


4 – Revisão

As revisões garantem um bom desempenho do veículo e, consequentemente, reduzem os custos com combustível. Por outro lado, uma simples calibragem de pneu pode colaborar para um melhor rendimento do consumo. Lembre-se: além de perder tempo com o carro parado na oficina para conserto, a mecânica corretiva é sempre mais cara que a mecânica preventiva.


5 – Capacitação

Invista em treinamento dos motoristas. Cursos sobre os maus hábitos na direção – ex.: frenagem brusca, aceleração em excesso e uso incorreto das marchas – podem ajudar a melhorar o consumo de gasolina na empresa.


6 – Rotas

É fundamental fazer um bom planejamento da rota antes de colocar o veículo na estrada. Avalie quais são as rotas com condições melhores de estrada e as menos engarrafadas. Isso melhorará o desempenho do veículo e a condição de trabalho do motorista.


7 – Peso dos veículos

Veículos mais pesados sempre consomem mais combustível, bem como possuem um rendimento bem inferior aos veículos mais leves. Se considerar as várias viagens no mês, este é um aspecto que pesa no bolso. Calcule o que gastará mais: enviar as mercadorias em mais de um veículo ou tudo em um único carro. Portanto, controle o peso dos veículos.


8 – Tempo ocioso

Frotas que ficam muito tempo paradas tendem a apresentar um desempenho pior no que diz respeito ao consumo de combustível. Por isso, faça o rodízio correto dos veículos, colocando todos em atividade constantemente. Isso ajudará bastante tanto na redução de custo com combustível quanto com a manutenção mecânica do veículo.

Com informações do Valor e do Expenseon.


FONTE: Varejo SA


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo