Buscar
  • Comunicação CDL Itaúna

Dia do Consumidor: crescimento em mais de 40% de vendas em 2022


Em 15 de março, o comércio celebrou o Dia do Consumidor de 2022. A data é uma das mais aguardadas por quem busca boas oportunidades de compra, e com isso se tornou uma forte aliada do varejo, que cria ações especiais, descontos e queima de estoque para atrair o público — o que resultou, neste ano, em um crescimento de 40% nas vendas durante a época, em relação aos resultados de 2021.


Essa informação vem de um levantamento sobre a data realizado com clientes de serviços da SmartHint, empresa especialista em sistemas de buscas e recomendações para e-commerce da América Latina recentemente adquirida pelo grupo Magazine Luiza, aponta que o valor total das vendas apresentou um crescimento de mais de 40%.


“O ano passado foi muito bom para o e-commerce em geral, mas sabíamos que este seria ainda melhor. Muitos varejistas criaram ações especiais para a retomada das operações, então temos um cenário cada vez mais positivo e de bons resultados” afirma Rodrigo Schiavini, Diretor de Negocios da SmartHint, que também explica que os dados evidenciam que o mercado volta a ficar aquecido e que muitos consumidores esperam boas ações para adquirir novos itens:


Entre os segmentos que mais faturaram na data em 2022 estão moda e acessórios, seguido de perfumaria, cosméticos e saúde. Já os que tiveram menos pedidos foram os de sexy shop, materiais para escritório e artigos odontológicos. O ticket médio das compras foi de R$282,78 no período.


Bons resultados no Dia do Consumidor contrastam com reclamações

É inegável que consumidores sejam parte integrante da operação de qualquer varejo, e, embora números que denotem crescimento como os apresentados pela SmartHint soem agradáveis, também é importante frisar que, no Brasil e no mundo, ainda há muitos problemas entre os clientes e as plataformas.


Dados que exemplificam isso foram divulgados na semana do Dia do Consumidor de 2022 pelo Consumidor.gov.br e o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), plataformas do governo federal de reclamações dos consumidores. Segundo as informações, os serviços, em 2021, registraram quase 3,3 milhões de queixas de produtos e serviços em todo o país — um dado que contrasta bem com o acréscimo de vendas das plataformas durante o evento anual.


FONTE: Varejo SA

3 visualizações0 comentário