Buscar
  • Comunicação CDL Itaúna

Pequenos negócios podem aumentar as vendas com as Lives de Comércio



As relações pessoais passaram por transformações nos últimos anos. Pessoas optam cada vez mais por comprar através de sites e aplicativos, de forma simples e rápida, sem o contato humano. Mas será mesmo, que elas querem comprar sem ter contato com outra pessoa? Ou o ideal seria proporcionar a experiência tradicional, de ser recebido por um vendedor na loja, com a facilidade do digital, onde podemos consumir rapidamente e de qualquer lugar?


A China é o país que vem liderando o comércio mundial e parece já ter descoberto uma estratégia para associar tecnologia com a humanização das relações. As lives de comércio começaram a acontecer no país em 2017. Segundo dados da empresa Green Proposition FZE, somente através desta estratégia de venda o país fechou o ano de 2020 com um faturamento total de 220 milhões de dólares, um crescimento de 19% em relação a 2019.


As lives de comércio são transmissões ao vivo, feitas por empresas onde mostram seus produtos e enquanto isso fazem ofertas para o público, que pode interagir e tirar suas dúvidas. O comum é que durante a live uma pessoa apresente e até experimente o produto. Muitas vezes famosos ou influenciadores digitais são convidados para apresentar, trazendo o toque de pessoalidade à venda.


No Brasil, marcas famosas como Riachuelo, Americanas, Arezzo, Chilli Beans e Rappi já iniciaram testes e realizaram Lives com sucesso de vendas. Pode-se dizer, que ainda estamos em versão beta, o mercado brasileiro está em testes e encontrando as melhores formas de aplicar essa estratégia de venda, que está tão consolidada no mercado Chinês.


Um ponto chave para a grande adesão a esse formato de venda é que ele é totalmente aplicável para micro, pequenas e médias empresas. Existem diversas plataformas gratuitas como Instagram, Facebook e Youtube onde as marcas podem realizar suas Lives de Comércio. Ou podem ir além, já existem plataformas de transmissão, as quais o cliente consegue realizar a compra ali mesmo, sem ter que ser direcionado para outro site ou atendimento por Whatsapp, por exemplo.


Segundo uma pesquisa da empresa App Annie, o brasileiro é a nacionalidade que mais passa tempo no seu smartphone no mundo. Logo, as empresas têm que se adaptar ao comportamento do consumidor e usar os canais de venda onde o seu cliente está.


Dessa forma, as Lives de comércios se mostram como uma tendência que veio para ficar e que será amplamente aplicada em nosso país.


*Eberth Motta é especialista em Gestão Comercial, pela Fundação Getúlio Vargas, e estrategista de negócios digitais e possui formação em times inovadores pelo MIT.


FONTE: Varejo SA


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo